©
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Tem sempre aquela dorzinha aguda no peito, aquela saudadezinha filha da mãe gritando no ouvido a falta que ele faz. - Tati Bernardi.   (via romantizar)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Hoje eu acordei pensando que ia ser diferente, infelizmente eu estava errada. - Tati Bernardi.  (via romantizar)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Querido diário, hoje eu me convenci que tudo bem em desistir. Não correr riscos. Ficar na zona de conforto, sem dramas, não é a hora. Mas os meus motivos não são motivos, são desculpas. Eu só estou me escondendo da verdade. - The Vampire Diaries.  (via romantizar)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Por que as coisas são assim? Eu me perguntava sempre que olhava no espelho e não via reflexo nenhum. Não consigo mais me reconhecer, a pessoa que eu era se perdeu, fugiu, não aguentou as dores e foi embora sem dizer adeus. Se eu sinto saudades do que já fui? Não sei. É muita coisa para questionar, muita memória para retroceder, muita angústia para contar e fazer os cálculos. Fui uma criança feliz porque não entendia o que era viver. Cresci, passei a saber o que era e não senti graça nenhuma nisso, até chegar na fase em que tudo que eu mais sonhava era morrer sem precisar sair do lugar. Desejos suicidas, vontades imorais, sentimentos desconhecidos, demasiada fúria por não conseguir entender o porquê da felicidade ser tão rude e não abraçar os que precisam dela. Sofrer pela falta de mudanças e sorrir para parecer feliz. Se entristecer por não receber ajuda e sorrir para parecer forte. Minha vida toda é resumida em fingimentos emocionais. Finjo ser alegre, mas vou dormir a cada noite com o peso do não entendimento entalado nas traqueias e quase paro de respirar em meio aos pesadelos, que infelizmente, são reais. Meu coração continua batendo, mas tenho a sensação de que ele já não quer mais me sustentar. Eu, que tenho tanto medo da vida, me sinto corajoso para sair dela a qualquer hora, mesmo que não se lembrem mais da pessoa que eu fui durante todos esses anos. A morte me fez esquecer a vida, a vida me fez esquecer quem eu sou. Quem não sabe viver, não deixa lembranças. Quem já sabe que não deixará lembranças, não se arrepende de partir. - Junior Lima. (via inverbos)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Ela sabia que precisava dele. Pelo menos naquela noite chuvosa e sem grandes esperanças. Mas tinha medo da compulsão. De querer ele sempre e sempre e pra sempre. E amanhã e depois. E de dia, e tarde, de madrugada. E não saber digerir tanto amor e tanto amor acabar lhe fazendo mal. Só mais um pouquinho, pensou. Uma lasquinha. Pra dormir feliz. Amanhã era amanhã. Depois ela resolvia. - Tati Bernardi.  (via inverbos)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Estava em mim, mas, não comigo. - Orquestrando.  (via inverbos)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Me diz como não te amar? - Catedral.   (via setembros)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Voltei pra cama e abracei o travesseiro. E continuei pensando em como tudo era bom. Em como tudo era pra ser bom. Aí veio uma lágrima. E outra, outra, outra. Inevitável. - Clarissa Corrêa.     (via alentador)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Paixão termina, amor não. Amor é aquilo que a gente deixa ocupar todos os nossos espaços, enquanto for bem-vindo, e que transferimos para o quartinho dos fundos quando não funciona mais, mas que nunca expulsamos definitivamente de casa. - Martha Medeiros.  (via inverbos)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
A nossa vida é uma coleção de saudades, pelo menos a minha é. - Projota.  (via incapacitado)
http://mododefalar.com/wp-content/uploads/2011/07/tumblr_lnkrloi89Z1qff2oxo1_500_large.png
Você construiu um mundo mágico, porque a realidade é trágica. - Paramore.   (via incapacitado)